No dia 22 de março comemoramos o Dia Mundial da Água. Em 22 de dezembro de 1992, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a resolução A/RES/47/193, declarando o dia 22 de março de cada ano como o Dia Mundial da Água.  Os Estados-membros das Nações Unidas foram convidados a dedicar o Dia a atividades concretas como a promoção da conscientização, conservação e ao desenvolvimento dos recursos hídricos. O Dia Mundial da Água é um apelo à ação de toda e para toda sociedade. Ele mostra que a responsabilidade é compartilhada e que todos temos um papel a cumprir quando se trata de água. Somos ao mesmo tempo usuários e parte desse recurso natural tão essencial para a nossa sobrevivência. 

Um dos grandes destaques da semana foi o lançamento da edição de 2021 do Relatório Mundial da ONU sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos. Publicado anualmente com foco em diversas questões estratégicas sobre os recursos hídricos, o Relatório conta com a participação de mais de 20 agências do Sistema ONU, as quais integram o esforço interagencial denominado ONU-Água (UN-Water), para o seu desenvolvimento. É uma revisão abrangente que oferece um quadro geral do estado dos recursos de água potável no mundo, e visa a fornecer a tomadores de decisão as ferramentas sustentáveis a serem utilizadas para nossa água. A edição de 2021 intitulada “Valor da Água” avalia a situação atual e os desafios para a valoração da água em diferentes setores e perspectivas, e identifica maneiras pelas quais a valoração pode ser promovida como uma ferramenta para ajudar a melhorar sua gestão e alcançar o desenvolvimento sustentável global.

Segundo o Relatório da ONU, o consumo de água doce aumentou 6 vezes no último século e continua a avançar a uma taxa de 1% ao ano. A qualidade da água diminuiu exponencialmente e o estresse hídrico, mensurado essencialmente pela disponibilidade em função do suprimento, já afeta mais de 2 bilhões de pessoas segundo dados apresentados no relatório. Em relação a América Latina e Caribe, destacou-se a ocorrência de conflitos impulsionados pelo estresse hídrico. Foi ressaltado que agricultura, hidroeletricidade, mineração figuram-se como os maiores usuários da água, sendo também muitas vezes os responsáveis pela sobre-exploração do recurso natural. 

Outro destaque da semana foi a realização da 5ª Assembleia Geral do Parlamento Mundial da Juventude pela Água (em inglês, World Youth Parliament for Water). O Parlamento Mundial da Juventude pela Água é uma rede de jovens que atuam pela água espalhados em mais de 80 países. A missão é defender a participação dos jovens no setor de água e implementar ações concretas para a água, envolvendo atividades ligadas a (1) Estrutura Política e Legal da água, (2) Arranjos Institucionais e Participação Popular, (3) Instrumentos de Gestão da Água, (4) Infraestrutura e Financiamento de recursos hídricos, e até mesmo (5) contexto de Cooperação Internacional. A atuação do Parlamento ocorre em diversos níveis: comunidades locais, onde implementam ações concretas e lançam as bases para o acesso universal à água e ao saneamento, até a Assembleia Geral das Nações Unidas, onde defendem a participação dos jovens no setor de água. 

A Assembleia Geral do Parlamento ocorre a cada 3 anos, reunindo jovens talentosos de todo o mundo durante uma semana para trabalhar juntos, moldando e compartilhando as perspectivas dos jovens para um futuro mais sustentável em relação à água e ao saneamento. Esta semana também é uma oportunidade para renovar a adesão à rede e eleger novos representantes para a rede. A Assembleia Geral é uma oportunidade para desenvolver iniciativas concretas, trabalhar com especialistas, descobrir diferentes culturas e desenvolver novas amizades. Ela permite que jovens de todo o mundo explorem a complexidade das questões hídricas, gerem interesse de pesquisa e promovam o diálogo entre os jovens dos estados ribeirinhos que compartilham águas transfronteiriças.

A Assembleia Geral contou com sessões perspicazes sobre uma variedade de tópicos: estratégias de comunicação, sessão de networking, envolvimento dos jovens, desafios hídricos e climáticos em comunidades indígenas. Danilo Turk, ex-presidente da Eslovênia, sugeriu explorar o potencial dos jovens, incentivando e facilitando a pesquisa capitaliza a sensibilidade dos jovens em questões ambientais. Josh Newton, fundador do Josh’s Water Jobs (https://www.joshswaterjobs.com/) e consultor do Global Center for Adaptation (https://gca.org/), foi o anfitrião da sessão de Governança Global da Água, destacando a importância da água. Em sua fala, Newton incentivou a participação e engajamento dos jovens com questões hídricas, considerando como chave para a geração futura implementar soluções concretas. Outra sessão relevante foi promovida pelo Geneva Water Hub (https://www.genevawaterhub.org/), onde se discutiu o envolvimento dos jovens nas questões de água e paz em diferentes contextos ao redor do mundo. 

A 5ª Assembleia Geral do Parlamento Mundial da Juventude pela Água deixou claro que ainda é necessário se avançar muito na integração dos jovens com as questões hídricas, principalmente na incorporação dos jovens em discussões diplomáticas e processos de cooperação hídrica. Há espaço para melhorias e os jovens têm um grande potencial para atuar na área, comprometendo-se com iniciativas colaborativas, como treinamento e programas conjuntos.


Referências:

Coesnon, M., Dasgupta, D., Schillinger, J., & Zmak, E. (2021). Water across Borders: Youth Perspectives on Transboundary Water Management. World Youth Parliament for Water.

United Nations, The United Nations World Water Development Report 2021: Valuing Water. UNESCO, Paris

World Youth Parliament for Water (WYPW): https://youthforwater.org/

Acesse nosso site: